Qual o papel da Nutrição na ansiedade?

Qual o papel da Nutrição na ansiedade?

Quem, em pleno século XXI e pandemia COVID-19, não convive com a ansiedade de perto, que atire a primeira pedra!

Por isso, hoje falo-vos de algumas estratégias nutricionais que podem ajudar em casos de ansiedade.

A ansiedade estimula o nosso organismo a produzir de forma aumentada cortisol, a nossa hormona do stress e estado de alerta.
 

Esta produção aumentada de cortisol provoca uma diminuição na produção de serotonina, o nosso neurotransmissor do bem-estar e felicidade.

Simultaneamente, os níveis de noradrenalina no nosso sistema nervoso central aumentam, exacerbando os sintomas característicos da ansiedade.

Uma das abordagens nutricionais para a ansiedade consiste em estimular a produção e libertação de serotonina, e também de um outro neurotransmissor, o GABA.

Alimentos ricos em triptofano, vitaminas do complexo B, magnésio, flavonóides e hidratos de carbono estimulam a produção tanto de GABA quanto de serotonina.


Alguns exemplos destes alimentos são o feijão, a lentilha, o grão de bico, as frutas, incluindo o abacate, diversos legumes, o peixe, o ovo, o azeite, as oleoginosas (nozes, amêndoas, avelãs), e o chocolate com alto teor de cacau ou próprio cacau. Alimentos fermentados como o iogurte ou o tempeh também são bons aliados no combate à ansiedade.

Por outro lado, é importante reduzir ao máximo consumo de alimentos industrializados, ricos em açúcar, gorduras trans e saturadas. 

Vale lembrar que o estilo de vida como um todo contribui para uma melhor gestão da ansiedade, pelo que o exercício físico, o contacto com a Natureza e com pessoas significativas, e o sono de qualidade não devem ser esquecidos.

Espero que tenha sido útil!



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *