Etiqueta: sono

Porque engordamos?

Porque engordamos?

Bom dia! A questão “afinal, porque engordamos?” pode fazer-nos responder rapidamente: porque comemos demais! É mentira? Não necessariamente. Mas também não será a única explicação, ou pelo menos, a resposta não será assim tão linear. Ora vejamos algumas das causas de engordarmos: 👉 Porque estamos 

Qual o papel da Nutrição e do Estilo de Vida na depressão?

Qual o papel da Nutrição e do Estilo de Vida na depressão?

Se tem depressão, já teve ou conhece alguém que tenha, este artigo é para si. Nunca é demais falarmos sobre esta doença, nunca é demais falarmos sobre saúde mental. Além disso, também nunca é demais sabermos o que podemos fazer relativamente a este problema. Um 

Impacto da privação de sono no ganho de peso

Impacto da privação de sono no ganho de peso

Olá! 🙂
Hoje venho falar um pouco sobre o impacto da privação de sono no ganho de peso (ou de gordura corporal).
Quem é que nunca sentiu uma maior vontade de comer doces ou fast-food após uma noite mal dormida? Que precisa “mesmo” de ir à máquina buscar um chocolate para conseguir trabalhar? Que o cansaço é tanto que hoje vai faltar ao ginásio e nem para uma caminhada dá? Ou que ao fim de várias noitadas para escrever uma tese, a trabalhar por turnos ou com um bebé pequeno, o peso foi, aos poucos, dando sinal de si?
Pois é, de facto tudo isto está relacionado e todos nós já o sentimos. O que hoje vamos fazer é entender a ciência por detrás desta ligação entre a privação de sono e o ganho de peso.
Cada vez mais se estuda a relação entre a privação de sono e o ganho de peso. Mas o que é que já se sabe sobre isso?
Vamos ficar a saber:
* A privação de sono aumenta os nossos níveis de hormonas orexigénicas (ex. grelina) e diminui os níveis de hormonas anorexigénicas (ex. leptina). Isto significa que o nosso apetite vai estar aumentado via as hormonas orexigénicas e que o controlo do mesmo estará prejudicado, pela diminuição das anorexigénicas. Resumindo: menos sono, mais fome!
* Ao estarmos mais tempo acordado temos uma maior janela de oportunidade para comer. Infelizmente, quem se deita tarde tende a petiscar bolachas e outros snacks menos saudáveis durante esse período noturno em que está acordado;
* Dormir pouco ou mal causa-nos fadiga, por isso é menos provável que passemos pelo ginásio ou que iniciemos uma caminhada. Até agora, já vimos que ficamos com mais fome e menos ativos… Não parece favorável, pois não? Mas há mais…
* Aumenta os níveis de cortisol noturno. Consequências? Maior resistência à insulina (com mau metabolismo dos hidratos de carbono) e maior ganho de gordura visceral (gordura inflamatória, para “ajudar à festa”);Assim sendo, o que podemos fazer? É simples:- ser disciplinado no horário de dormir. Tentar adormecer entre as 22h e as 23h. Sabe aquela hora em que está no sofá com a cabeça a tombar enquanto “vê” tv? Pois é, é essa hora. Vale lembrar que compensar ao fim de semana não resulta;

– Evitar estimulantes ao redor do horário do sono: chá verde ou preto, café, açúcar… E evitar também refeições pesadas, ou tão leves que vá dormir com fome;

– Desligar as luzes, os telefones, os tablets, os e-mails e afins. A não ser que trabalhe no INEM, a essa hora não há urgências;

– Ingerir alimentos fontes de triptofano, magnésio e vitamina b6, que ajudam na produção de melatonina, que o ajudará a dormir melhor, tais como: fruta, verduras, leguminosas e oleoginosas.

Posto isto, pelo seu peso e pela sua saúde, durma que nem um bebé 👶🏻 (daqueles que dormem a noite inteira! 😅)