Etiqueta: emagrecimento

Quer emagrecer ou ser emagrecido?

Quer emagrecer ou ser emagrecido?

Bom dia! Esta publicação pretende acima de tudo promover uma reflexão, mas também apresentar soluções para aqueles que são os principais problemas percepcionados para o emagrecimento. Vamos a isso! Reflita: 🎯Quantos profissionais já procurou para emagrecer? 🎯Quantas vezes já tentou emagrecer? 🎯Quantas dietas novas já 

A fórmula mágica do emagrecimento

A fórmula mágica do emagrecimento

Como já perdi a conta das vezes que me perguntaram qual era a fórmula mágica do emagrecimento, ou se não havia algo que podiam tomar, a resposta está aqui: ✨ FÓRMULA MÁGICA: compromisso ➕ consistência ➕ disciplina ➕ paciência 🧞 ✨O QUE PODEM TOMAR: juízo®️ 

Celulite: como a Nutrição pode ajudar?

Celulite: como a Nutrição pode ajudar?

A celulite é uma condição que cerca de 80% das mulheres, em maior ou em menor grau, localizando-se sobretudo na região dos glúteos e das coxas, mas podendo também afetar outras áreas do corpo.


A causa da celulite é multifatorial: genética, alterações hormonais, ganho de peso, inchaço e destruição da estrutura de colagénio. De todas estas possíveis causas, o ganho de peso é a que parece estar mais associada ao aparecimento da celulite.


Sendo assim, o emagrecimento (entenda-se redução da gordura corporal) é, na maioria das vezes, essencial, no sentido em que reduzir a gordura corporal irá diminuir o tamanho da célula de gordura e a compressão que esta faz sobre o tecido linfático, empurrando a pele e causando o típico “efeito casca-de-laranja”.

Dessa forma, uma dieta com redução das calorias, rica em vegetais, frutas, carnes magras (aves, coelho, cortes magros de vaca), peixes magros (pescada, solha, linguado), pobre em alimentos industrializados (bolachas, cereais, granolas, refrigerantes, bolos, etc), pobre em açúcar e farinhas refinadas, pobre em álcool e gorduras pouco saudáveis como as que encontramos em alimentos fritos, margarinas, óleos de cozinha e alimentos industrializados no geral, parece ser o mais recomendado na redução da celulite.

Além disso, também se aconselha o consumo frequente de frutas vermelhas/roxas, como o açaí, amora, uva, mirtilo, framboesa e morangos; consumir diariamente alimentos fontes de gorduras boas, como azeite, azeitona, sementes, oleaginosas (nozes, avelãs, amêndoas), abacate e peixes gordos (sardinha, cavala).

Alguns chás, como o chá de hibisco, centelha asiática, castanha da Índia e chá verde auxiliam na redução do edema (inchaço), melhoram a circulação e reduzem a celulite. Além dos chás, obviamente a água também tem um papel importante, todos os dias da nossa vida, na diminuição do edema.

Quanto a nutrientes específicos e às suas fontes, temos:

  • Silício: atua na estrutura do colagénio e elastina. Fontes: aveia, grãos integrais, salsa, folhas verdes, beterraba;
  • Ómega-3: anti-inflamatório, ajuda na circulação. Fontes: Chia, linhaça, sardinha, cavala, lulas;
  • Polifenóis: combatem os radicais livres, que intervêm no envelhecimento das células e tecidos. Fontes: frutas (uva, cereja, limão, mirtilo, morango…), verduras (couve, couve-flor, alho, cebola, espinafre, repolho, rabanete, beterraba…), sementes, oleaginosas, ervas e especiarias (alecrim, manjericão, gengibre, canela, cúrcuma, e cravinho);
  • Quercetina: atividade anti-inflamatória e antioxidante. Fontes: maçã, cebola, brocolos, uva, morango, couve, grãos, nozes, chá preto e chá verde.

Por último, mas não menos importante, temos o exercício físico, nomeadamente o treino de força (musculação), que é uma estratégia essencial para redução da gordura corporal.

Espero que o artigo vos tenha sido útil! Seguimos junta/os no combate à celulite 😀

5 dicas ESSENCIAIS para perder peso

5 dicas ESSENCIAIS para perder peso

Vamos começar pelos factos! A maioria das pessoas que procura emagrecer, quer um topping de espirulina antes de incluir a sopa na alimentação, bagas de gogi antes de se lembrar de comer fruta e um jejum intermitente antes de simplesmente parar de comer “porcarias”. O 

Como não deitar tudo a perder nos jantares de Natal?

Estamos em Dezembro, o mês por excelência dos lanches, almoços e jantares de Natal. Se isto é sinónimo de convívio e alegria, também pode ser sinónimo de receio para quem esteja com o objetivo de reduzir ou controlar o peso. A verdade é que a 

Qual o papel da Nutrição na menopausa?

Qual o papel da Nutrição na menopausa?

Olá!

No dia hoje, 18 de Outubro, é comemorado o Dia Mundial da Menopausa, o fim do ciclo reprodutivo da mulher.

A data foi criada com o intuito de alertar as mulheres sobre as mudanças que acontecem com o seu corpo neste período e incentivá-las a procurar especialistas que possam ajudá-las a passar por esta etapa da vida feminina com mais qualidade de vida e saúde.

Aqui, vamos conversar um pouco sobre algumas das alterações fisiológicas que acontecem na menopausa, e como a Nutrição pode ajudar.

Vamos a isso!

Um dos principais acontecimentos na menopausa é a diminuição da síntese de hormonas esteróides, sendo que tanto o estrogénio quanto a progesterona começam a estar em níveis cada vez mais baixos.

Este hipoestrogenismo (baixos níveis de estrogénio) é responsável por alguns dos mais clássicos efeitos da menopausa:

  • menor controlo da temperatura corporal (“calores”);
  • menor produção de serotonina, logo, maior irritabilidade, alteração de humor e sintomas depressivos;
  • menor produção de melatonina, logo, aparecimento de insónias;
  • maior vasoconstrição e menor vasodilatação (logo, maior risco de hipertensão);
  • alterações na capacidade de memória e concentração;
  • pior saúde óssea;
  • maior risco cardiovascular;

Além disso, a produção de estrona, outra hormona esteróide, encontra-se aumentada, contribuindo para o ganho de peso, aumento da gordura abdominal e maior risco de alguns tipos de cancro.

Paralelamente, ocorre também uma diminuição dos níveis de testosterona, o que se associa a uma maior dificuldade em ganhar massa muscular, em emagrecer e também a uma diminuição da líbido.

Por fim, a diminuição dos níveis de IGF-1 (fator de crescimento semelhante à insulina) faz com que a mulher fique mais resistente à insulina, ou seja, de forma simplificada, menos tolerante à ingestão de hidratos de carbono (precisamente o que vai apetecer comer, dadas as alterações de humor e o pior sono!).

Desta forma, a abordagem nutricional deverá incidir em 2 ramos: diminuir os sintomas e prevenir doenças crónicas, como a osteoporose, hipertensão, o cancro ou as doenças cardiovasculares, já que a partir da menopausa o risco das mesmas é aumentado. Como? Com os seguintes nutrientes/compostos:

– Ómega 3: com efeito na diminuição de sintomas depressivos, na redução do risco de doenças cardiovasculares e como anti-inflamatório. Podemos encontrá-lo sobretudo nos peixes gordos como a sardinha e a cavala;

– Triptofano: este aminoácido é usado na produção de serotonina e melatonina. Em alimentos, é encontrado em no grão de bico, quinoa, amaranto, frutos secos, carne de aves…

– Compostos antioxidantes, para uma maior proteção celular:  antocianinas (frutos vermelhos), resveratrol (frutos
vermelhos, uvas), sulforafanos (crucíferas, tais como os brócolos, couve-flor, couve, couve-de-bruxelas…), catequinas (chá verde) e quercetina (alho, maçã, cebola…). Por serem anti-inflamatórios, estes compostos também vão ajudar na diminuição do risco de doenças crónicas;

– Fitoestrogénios: caso não haja indicação em contrário, poderá ser feito um maior consumo de fitoestrogénios, que podemos encontrar na linhaça;

-Vitaminas do complexo B: importantes para o correto funcionamento do metabolismo, mas também como co-fatores na produção de serotonina e melatonina. Podemos encontrá-las nas verduras, frutas, sementes, oleoginosas, leguminosas e vísceras;

– Magnésio: ajuda na diminuição da resistência à insulina e também atua como co-fator na produção de serotonina e melatonina. Como fontes alimentares temos as oleoginosas, sementes, banana, aveia e vegetais de folha escura;

 

Apesar de não ser uma recomendação nutricional, mas por “andar de mãos dadas com a Nutrição”, o exercício físico é outro aliado na menopausa, por aumentar a sensação de bem-estar e por estar envolvido na prevenção da osteoporose, de doenças cardiovasculares, do ganho de peso comum nesta fase da vida e também do cancro.

Seja para o aconselhamento em Nutrição seja em Exercício Físico, consulte sempre um profissional para que esse aconselhamento seja individualizado.

Espero que este artigo vos tenha sido útil!

Impacto da privação de sono no ganho de peso

Impacto da privação de sono no ganho de peso

Olá! 🙂 Hoje venho falar um pouco sobre o impacto da privação de sono no ganho de peso (ou de gordura corporal). Quem é que nunca sentiu uma maior vontade de comer doces ou fast-food após uma noite mal dormida? Que precisa “mesmo” de ir