Infeção urinária – como pode a Nutrição ajudar?

Infeção urinária – como pode a Nutrição ajudar?

A infeção urinária corresponde à presença de bactérias (habitualmente Escherichia coli) em qualquer parte do sistema urinário (rins, ureteres e bexiga). São uma das infeções mais comuns nas mulheres e provocam inflamação, ardor e urgência em urinar.

Os fatores de risco são diversos: ser do sexo feminino, relações sexuais, uso de antibióticos e menopausa (a queda de estrogénio altera a flora bacteriana vaginal, aumentando a susceptibilidade).

Além destes, temos também fatores de risco nutricionais, que quando corrigidos, permitem diminuir o risco de infeção urinária, tais como:

  • Alimentação com excesso de hidratos de carbono refinados e açúcares;
  • Consumo excessivo de bebidas alcoólicas;
  • Consumo de produtos industrializados, com aditivos alimentares (corantes, conservantes, etc);
  • Consumo reduzido de frutas, legumes e verduras.

Estes comportamentos alimentares estão associados a um desequilíbrio da microbiota no trato gastrointestinal e reprodutor, favorecendo o crescimento de bactérias patogénicas e, consequentemente, aumentando o risco de infeções.

Além disso, alguns estudos demonstram que o cranberry (arando) pode ser eficaz na prevenção e coadjuvante ao tratamento das infeções urinárias de repetição, uma vez que as proantocianidinas que possui, reduzem a adesão de bactérias patogénicas às vias urinárias.

A vitamina C também parece estar associada à diminuição do crescimento bacteriano.

Assim sendo, cuidar da microbiota do nosso organismo e incluir cranberry e fontes de vitamina C na nossa alimentação podem ser potenciais aliados à redução do risco de infeção urinária.

É essencial salvaguardar o seguinte: estamos a falar de efeitos na diminuição do risco, mas não estamos a falar da capacidade de tratar infeções urinárias. As mesmas devem ser tratadas segundo a prescrição farmacológica prescrita pelo médico, geralmente antibiótico. A infeção urinária é algo que pode ser facilmente tratado, mas que não o sendo, facilmente evolui, tornando-se num problema grave, como por exemplo a pielonefrite, onde inclusivé existe risco de insuficiência renal.

Por isso o papel da Nutrição acontece na tentativa de criar um ambiente pouco favorável ao crescimento de bactérias, e não na sua eliminação. Seja consciente 😉



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *