O que tem feito pela sua saúde desde que começou a pensar em engravidar?

O que tem feito pela sua saúde desde que começou a pensar em engravidar?

O sucesso da gravidez depende muito da saúde materna no momento da concepção, sabia? E isto não tem de ser um peso ou culpa, inclusive se o seu caso for um dos tantos em que alguma das gestações não chegou até ao fim.

É sim informação e poder para que possa criar um ambiente mais favorável à próxima gravidez.


Vamos ver algumas das coisas que pode JÁ melhorar:

👉 O excesso de peso e obesidade estão associados às seguintes complicações obstétricas: infertilidade, diabetes gestacional, macrossomia (bebés com peso ao nascer acima do recomendado, o que constitui um risco futuro de obesidade), maior probabilidade de cesariana, alterações cromossómicas e pré-eclampsia (a principal causa de morte materna!). Desta forma, o excesso de peso NÃO PODE ser desvalorizado. O problema não é quanto tempo demora a perder o peso pós parto. É quanto tempo de vida o seu peso rouba a si e ao seu futuro bebé.

👉 Mesmo com níveis elevados de obesidade e excesso de peso, a maioria das mulheres está subnutrida, ou seja, ingere menos nutrientes (geralmente vitaminas e minerais) que o recomendado. A associação entre a carência destes e o insucesso da gravidez é ENORME. Pode até ser a primeira vez que ouve isto, mas não o esqueça;

👉A ingestão de folato deve ser garantida pelo menos 3 meses antes de engravidar, de preferência metilfolato. Também não é qualquer suplemento de ácido fólico que é bom, já que tanto o suplemento quanto a dose devem ser individualizados. Nós não somos protocolos, nem “suplementação em série”. Não se esqueça de ingerir folato: folhas verdes escuras e cruas TODOS os dias.
A necessidade deste nutriente vai muito além da prevenção dos defeitos do tubo neural: carência de folato aumenta risco de aborto espontâneo, pré-eclampsia e crescimento fetal inadequado;

👉 PARE DE FUMAR. Não faz sentido só parar quando engravidar. Tentar engravidar enquanto fuma é escolher ser negligente. O tabagismo associa-se ao aumento da taxa de aborto espontâneo e também à restrição do crescimento intrauterino.


Faça a sua parte. Programe e otimize a sua gravidez 😉



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *