Já sabe o que o açafrão pode fazer pela sua saúde?

Já sabe o que o açafrão pode fazer pela sua saúde?

Atualmente, raro é o dia em que não lemos em algum lugar sobre as propriedades anti-inflamatórias de determinado alimento. Porquê? Porque a inflamação é a raiz de muitas patologias crónicas, tais como diabetes, cancro, doenças auto-imunes, obesidade, depressão, Alzheimer, etc, e de facto, a nossa alimentação tem um papel determinante na redução e/ou resolução desta mesma inflamação.

É importante sabermos que quando falamos em inflamação podemos estar a falar de duas situações diferentes:

  • Inflamação aguda, que nos protege contra agentes agressores, como por exemplo durante o combate a uma infeção. É uma inflamação localizada e com sintomas concretos.
  • Inflamação crónica: ao contrário da inflamação aguda, tem uma localização sistémica e ocorre de forma contínua, sem sintomas tão óbvios quanto a inflamação aguda. A má notícia é que é esta mesma inflamação crónica que nos coloca cada vez mais perto de sofrer de uma doença crónica; a boa notícia é que o poder de a combater “está nas mãos” da sua alimentação e estilo de vida, ou seja, nas suas mãos.

Existem muitas formas de combatermos a inflamação crónica, inclusive muitos alimentos ou compostos presentes nos mesmos que nos podem ajudar, mas hoje vamos apenas falar da curcumina, que encontramos na curcuma longa/açafrão. Porquê? Porque é um excelente aliado, porque tem inúmeras evidências científicas a seu favor e porque a inclusão na dieta é, para além de fácil, uma ótima forma de dar cor e sabor às suas refeições.

O que é curcumina?

A curcumina é um dos três principais compostos ativos, ou curcuminoides, que dão ao açafrão sua cor amarela brilhante, em conjunto com a desmetoxicurcumina e bisdemetoxicurcumina.

Quais são os benefícios anti-inflamatórios da curcumina?

A curcumina atua na redução da inflamação através de vários mecanismos, por exemplo:

  • Aumentando a atividade de antioxidantes no nosso organismo, como a superóxido dismutase (SOD) e a glutationa peroxidase (GSH);
  • Captando várias formas de radicais livres, incluindo espécies reativas de oxigénio e nitrogénio;
  • Inibindo enzimas como lipoxigenase/ciclooxigenase e xantina hidrogenase/oxidase, que participam em processos de oxidação;
  • Atuando de forma semelhante à vitamina E, combatendo os radicais livres.

Uma das moléculas que a curcumina consegue inibir chama-se fator nuclear kB (NF-kB), fator este que é ativado por poluentes ambientais, certos tipos de bactérias ou vírus, tabaco, stress, entre outros fatores. Ao inibir o NF-kB, a curcumina consegue reduzir a expressão de citocinas inflamatórias, atuando assim com poder anti-inflamatório.

Além disso, a curcumina tem demonstrado inibir ou bloquear outras substâncias e vias envolvidas na inflamação.

Qual o papel da curcumina na artrite?

Indivíduos com artrite, muitas vezes tomam um grande número de medicamentos anti-inflamatórios não esteróides (AINEs), que apesar do seu efeito terapêutico, são conhecidos por ter um efeito agressivo a nível hepático e intestinal.

Ao contrário dos AINEs, a curcumina, mesmo em doses elevadas, parece ser segura, cumprindo também eficazmente o seu papel anti-inflamatório. 

Qual o papel da curcumina na saúde mental?

A inflamação e o stress oxidativo desempenham um papel importante na deterioração da função cognitiva. 

Alguns estudos mostram que o consumo de curcumina está associado a melhorias na capacidade de memória e atenção.

Estudos in-vitro demonstraram também que a curcumina tem o potencial de reduzir as placas beta-amilóides, características da doença de Alzheimer. No entanto, estes resultados não se demonstraram, pelo menos para já, em humanos.

Outro aspeto importante relativamente à curcumina e à saúde mental, tem a ver com o facto de na depressão existir um padrão inflamatório, no qual a curcumina poderá ajudar a diminuir.

Como aumentar a ingestão de curcumina no nosso dia a dia?

Como já vimos anteriormente, a curcumina é encontrada na curcuma longa, que vulgarmente designamos por açafrão.

É importante lembrar que os estudos que usam curcumina, assim como outros compostos bioativos, utilizam habitualmente extratos, ou seja, o composto em doses muito superiores àquela que se encontra no alimento. Isso faz com que, muitas vezes, se quisermos um efeito terapêutico em vez de preventivo, temos de usar um suplemento em detrimento da obtenção exclusiva via alimento.

No entanto, com ou sem suplemento, ganhamos em juntar o açafrão à nossa alimentação diária. Como? Fique com algumas sugestões:

  • Juliana de legumes salteada com um fio de azeite, açafrão e pimenta preta (a piperina, presente na pimenta preta, aumenta a absorção e disponibilidade da curcumina, pelo que é interessante utilizá-los em conjunto!);
  • Bife de aves temperado com limão, açafrão e pimenta preta;
  • Junte à sopa;
  • Arroz de açafrão;

Espero que o artigo tenha sido útil e que adicione este excelente composto à sua alimentação diária!



2 thoughts on “Já sabe o que o açafrão pode fazer pela sua saúde?”

    • Olá!

      A utilização do açafrão em bebidas é uma ótima opção. Uma sugestão é juntarmos um pouco de açafrão ao sumo de laranja natural, fica muito saboroso.
      No entanto, pelo facto de habitualmente não juntarmos pimenta preta às bebidas, o aproveitamento do açafrão por parte do nosso corpo fica um pouco diminuído (mas ainda assim, existente!).

      Obrigada pelo comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *