Mês: Dezembro 2018

Broas de mel, batata doce e côco

Broas de mel, batata doce e côco

Olá! As  broas doces costumam fazer parte de muitas mesas em época de Natal.  No entanto, as de compra costumam ter muito açúcar e por isso não são a melhor das opções. Hoje trago-vos uma receita semelhante, mas mais saudável, que de certeza que vão 

Bolachas de Natal

Bolachas de Natal

Bom dia! Não conheço ninguém que não goste de uma bolacha de vez em quando, e infelizmente é difícil encontrarmos nos supermercados bolachas que sejam apetitosas e saudáveis ao mesmo tempo.  Nesse sentido, a receita de hoje são precisamente bolachas, que chamei de Bolachas de 

Qual o papel da Nutrição na artrite reumatóide?

Qual o papel da Nutrição na artrite reumatóide?

Bom dia!

Hoje trago-vos um artigo sobre o papel da Nutrição na artrite reumatóide, mas primeiro vamos ver em que consiste esta doença.

Segundo o Instituto Português de Reumatologia (IPR), “a artrite reumatóide (AR) é uma doença reumática sistémica e a forma mais comum de artrite. É uma doença inflamatória que causa dor, edema (inchaço), rigidez e perda de função nas articulações. Existe de forma característica uma inflamação de diversas articulações, podendo atingir e causar alterações na cartilagem, osso, tendões e ligamentos de diversas articulações. Existem vários tipos de artrite. Na AR, é característico existir um envolvimento simétrico, ou seja, afetar ambos os punhos ou ambos os joelhos e não apenas uma das localizações. A AR afeta frequentemente os punhos e os dedos (com maior frequência nas articulações perto dos punhos), mas pode também atingir pés, ombros, joelhos, cotovelos, ancas e coluna cervical, entre outros.
Ocasionalmente, a inflamação pode atingir o revestimento dos pulmões (causando pleurite) ou o revestimento do coração (causando pericardite). Pode ainda atingir o pulmão ou associar-se a secura dos olhos ou da boca, devido à inflamação das glândulas que produzem a saliva e as lágrimas. Mais rara é a inflamação dos vasos que provoca a vasculite. 
A AR pode, por vezes, existir com febre baixa, sensação de se estar doente e redução da força com fadiga intensa. A anemia existe muitas vezes associada à AR.”

Agora que já vimos o que caracteriza esta patologia, vamos ver o que podemos fazer por ela, através da Nutrição.


1) Por ser uma patologia com caráter inflamatório, é aconselhada a ingestão de alimentos anti-inflamatórios, tais como o gengibre, frutos vermelhos, açafrão, frutas, vegetais, peixe gordo, pois podem diminuir os sintomas. Dê especial atenção a alimentos fontes de vitamina C (ex: citrinos,brócolos, salsa, morangos), E (ex: azeite, oleoginosas), selénio (ex: sardinha,castanhas do Brasil) e ómega-3 (ex: sardinha, cavala, linhaça); 


2) Por ter caráter auto-imune, interessa-nos pensar num conceito chamado mimetismo molecular: algumas proteínas alimentares, como a proteína do leite, da soja ou o glúten, têm estruturas semelhantes a proteínas encontradas no nosso corpo, o que pode exacerbar os mecanismos de autoimunidade a agravar a sintomatologia. Dessa forma, estas proteínas deverão ser evitadas;


3) Existe evidência de associação entre maior permeabilidade intestinal e a artrite reumatóide, pelo que devemos cuidar do nosso intestino!Como? Diminuindo o consumo de alergénios, gerindo o stress, consumindo alimentos anti-inflamatórios, nutrientes reparadores como zinco (ex: ostras,carnes, oleoginosas), vitamina A (vegetais e frutas de cor laranja e vermelha), glutamina, probióticos…


4) Devemos diminuir o consumo de alimentos inflamatórios,como açúcar, farinhas, óleos de girassol, de soja, alimentos processados;


5) A vitamina D tem também um papel importante na modulação da autoimunidade, devendo ser avaliada e suplementada se necessário; 


6) Para melhorar o metabolismo ósseo, prejudicado nesta doença, devemos ingerir alimentos fonte de cálcio, vitamina D e magnésio, assim como evitar o consumo excessivo de açúcar, cafeína, sal, e devemos praticar exercício físico, essencial para a nossa saúde óssea;


7) Devemos ainda observar se o consumo de alimentos ricos em solaninas (batata, beringela, tomate verde, pimento…) exacerba os sintomas; 


8) Por fim, muitos dos indivíduos com AR têm uma ingestão de nutrientes abaixo do recomendado, e nisto pode estar envolvido o facto de que,com as dores e dificuldades motoras associadas a doença, pode haver dificuldade nas compras, na preparação dos alimentos, na mastigação, e por isso uma maior tendência para comer pouco ou alimentos já preparados.

Espero ter ajudado! Se conhece alguém beneficie desta informação, partilhe este artigo e convide a subscrever a newsletter!

Obrigada!

Como não deitar tudo a perder nos jantares de Natal?

Estamos em Dezembro, o mês por excelência dos lanches, almoços e jantares de Natal. Se isto é sinónimo de convívio e alegria, também pode ser sinónimo de receio para quem esteja com o objetivo de reduzir ou controlar o peso. A verdade é que a 

Qual o papel da Nutrição e do Estilo de Vida na depressão?

Qual o papel da Nutrição e do Estilo de Vida na depressão?

Se tem depressão, já teve ou conhece alguém que tenha, este artigo é para si. Nunca é demais falarmos sobre esta doença, nunca é demais falarmos sobre saúde mental. Além disso, também nunca é demais sabermos o que podemos fazer relativamente a este problema. Um 

Sopa de miso

Bom dia! 🙂

A receita que vos trago hoje é de sopa de miso e foi inspirada na receita de miso do blog “Made by Choices”, como podem ver na imagem.

As vantagens nutricionais desta sopa relacionam-se com a saúde intestinal, por ser uma fonte de probióticos, e também com a saúde digestiva e sistema imunitário.

Pode, como todas as sopas, ser consumida antes do prato principal, mas também é ótima opção para lanche ou até mesmo pequeno-almoço, para quem se queira aventurar 🙂

Vamos então à receita:

Ingredientes
  • Para 2 doses:
  • 1/2 embalagem de cogumelos frescos
  • 300 ml de água
  • 1 cebola
  • 1 dente de alho
  • 1 a 2 cenouras
  • 1 talo de alho francês
  • 1 colher de sobremesa de miso 
  • 1 fio de azeite
  • Cebolinho 
  • Temperos a gosto: pimenta preta, noz moscada…
  • Sal se necessário
Como preparar:
  1. Picar a cebola, o dente de alho, cortar a cenoura em cubos, o alho francês e os cogumelos em tiras.
  2. Num tacho juntar um pouco de azeite, a cebola e o alho. Deixar amolecer.
  3. Juntar o alho francês e a cenoura.
  4. Juntar os cogumelos frescos e a água. Tapar o tacho e deixar cozinhar por 10 a 15 minutos.
  5. Juntar os temperos a gosto.
  6. Numa taça juntar o miso e dissolver bem com um pouco do caldo da sopa.
  7. Juntar o preparado anterior à sopa, e se achar necessário, juntar um pouco mais de sal.
  8. Juntar o cebolinho picado.
  9. Comer ainda quente.

Espero que experimentem e gostem! Agora com o frio sabe muito bem! 🙂